quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

[Análise] Samurai Battles: Japan’s Warriors Lords in 700 Years of Conflict — Michael Sharpe (Livro / Hardcover)


As observações sobre o livro Samurai Battles: Japan’s Warriors Lords in 700 Years of Conflict feitas nesse texto se limitam apenas a descrição de aspectos gráficos e estruturais do livro, tendo em vista que o seu conteúdo será objeto de avaliação mais crítica, posteriormente, após conclusão da leitura.
Samurai Battles contém 208 páginas numeradas e tem as seguintes dimensões: 23,6cm x 2,28cm x 31,49cm (um pouco maior que uma folha tamanho A4). Tem jacket e capa (hardcover) com a mesma arte. Do mesmo autor de Samurai Leaders: From The Tenth To The Nineteenth Century , o livro tem boa encadernação e traz diversas ilustrações coloridas – reproduções de pinturas e fotografias de tamanhos variados, algumas inclusive ocupando uma página inteira ou disposta em duas; mapas diversos com divisões territoriais (antigas e atuais), marcação de rotas de rebeliões, batalhas, campanhas; boxes com pequenas biografias de algumas personagens históricas mais conhecidas; além de quadros com notas descritivas, explicativas e de referências.










Ray Bond é o gestor do projeto do livro e Mark Tennent, o designer responsável. Os mapas ficaram por conta de Mark Franklin e as demais ilustrações são provenientes de diversos sítios (como Getty Images, Wikipedia), cedida por outros autores (como Clive Sinclaire, autor de Samurai Swords), reprodução de pinturas do Museu Britânico e fotografias, a maioria delas tiradas por Jo St. Mart.












Quanto à estrutura, o livro apresenta as seguintes partes: Introdução; The First of the Samurai; Ascent to Power; Samurai & the Court (1086 – 1160); The Geinjii & Heike (1180 – 1185); The Golden Age (1221 – 1281) Japan Divided (1331 – 1467); Japan at War; The Failed Quest – Japanese Invasions of Korea e Epilog – The Boshin War.











A introdução contém um glossário com explicação de termos japoneses romanizados (ex.: ashigaru, bakufu, bushi, han, ronin, seppuku etc.), pois o autor preservou a utilização (romanizada) de muitos dos termos originais. Há também uma tabela organizando os períodos e subperíodos com suas respectivas datas. 
Os capítulos ou partes não são listados tradicionalmente com números, mas podem ser facilmente identificados ao longo das páginas pela figura de um samurai (cor amarela) ao lado esquerdo do título. Estão bem organizados e os subtítulos aparentemente oferecem apoio na hierarquização do conteúdo. O livro traz ainda um índice  Index – que facilita bastante a pesquisa. Entretanto, não há uma seção dedicada a referências bibliográficas, limitando estas ao espaço das notas ao longo das páginas.



Em texto contido na orelha (jacket), Samurai Battles se propõe a traçar a ascensão e queda dos samurais, no espaço temporal de um milênio, num período que vai desde o nascimento da nação japonesa, passando pelos séculos de feudalismo até o estabelecimento do modelo ocidental de democracia, no final do século XIX.
Centrando-se nas grandes batalhas travadas, aborda, por exemplo, as batalhas do shogunato Kamakura, as invasões Mongóis no Japão, a unificação do Japão por Oda Nobunaga, o período medieval do Japão dividido (restauração Kemmu e a Guerra de Ōnin), o período marcado pela instabilidade política e guerra constante – Período Sengoku – que teve seu fim marcado pela unificação do Japão por Oda Nobunaga, Toyotomi Hideyoshi e Tokugawa Ieyasu; as duas invasões de Toyotomi Hideyoshi na Coréia, Restauração Meiji, a guerra Boshin e o fim da classe guerreira dos samurais.







O livro não traz um aprofundamento sobre os clãs (se houver, ao menos isso não está visível em uma leitura superficial), muito menos informações sobre os Kamon (emblemas, símbolos heráldicos das famílias), parte que me interessa muito e que poderia ter vindo como seção ilustrada num apêndice, não apenas tratada de forma rasa em um dos mapas do livro. A abordagem biográfica de algumas personagens históricas, porém, já é algo que dá para se aproveitar. Apesar da inserção de datas e de tabelas organizando os períodos, senti a falta de uma seção com algum tipo de cronologia, listando os principais eventos.



Assim que eu tiver concluído a leitura desse livro, comentarei mais sobre ele. 

~Nana~

Um comentário:

コメントをありがとう! Obrigada pelo comentário!